Diario de um leiturista

Uma última fala.

Posted in diário de um leiturista by Ribamar Costa on 13/08/2011

Uma homenagem e uma despedida.

Anúncio da campanha em homenagem às mulheres

Matéria comentando o evento.

Olá queridos colegas de trabalho da caema, ou melhor caemeiros e caemeiras, hoje, dia 06 de agosto de 2011, dia em que digito esta breve mensagem, é um dia muito especial e cheio de significados importantes para mim, por isso mesmo quero compartilhar essa minha experiencia com todos aqueles que me acompanharam no diario de um leiturista. Neste dia, neste belo sábado de agosto, estou tendo a felicidade de fechar os meus 90 dias de experiencia em minha nova empresa, isso mesmo, creio que a grande maioria não saiba, mas em finais do mês de abril deste ano fui convocado para o Banco do Brasil S.A, por conta de um concurso que fiz em 2009.

Minha posse ocorreu no dia 09 de maio juntamente com 60 novos funcionários que assumiriam suas vagas em diferentes cidades do Maranhão, Piauí, Ceará e Pará. Dentre os maranhenses inclusive alguns caemeiros além de mim, fato este que fez sentir um forte contentamento. De lá pra cá a rotina nova de economiário incluiu muitos treinamentos, estudo, experiências e claro muito trabalho. Na segunda-feira que vem, de fato começo a me sentir parte desse todo que é o BB, sem contudo jamais esquecer meus valiosos 4 anos e 11 meses como membro de uma irmandade preciosa e batalhadora que sãos os caemeiros e caemeiras do nosso Estado.

Importunado com a dura realiadade do dia-a-dia a que eu e tantos colegas estávamos sujeitos a enfrentar na realização de nossa tarefa profissional e disposto a dar minha contribuição na luta pelo justo reconhecimento de nosso esforço diário e do descaso imposto, criei na internet um espaço de denúncia e de sátira a tão dura realidade. Http://diariodeumleiturista.wordpress.com, rapidamente (ou não) este se tornou um valioso meio de comunicação permitindo que colegas de todo o Maranhão se vissem em cada novo caso que era ali retratado. Obviamente isso não trouxe só contentamento, houve aqueles que se sentiram incomodados com o que expus naquelas páginas. Na verdade, houve também quem se irritasse por causa do que não expus. Felismente eu não era pago para escrever e não tinha rabo-preso com um lado e nem com o outro. “O QUE ESCREVI, ESCREVI.” – Pilatos.

Sinto que posso deitar minha cabeça em meu travesseiro cada noite e dormir tranquilo porque, nunca ataquei pessoa alguma, antes pelo contrário critiquei atitudes, procedimentos e opiniões. Eu sei que não se pode mudar alguém, na verdade até se pode mudar alguém, mude a você mesmo.

Recebi palavras de apoio, por e-mail, por telefone, pessoalmente. Ás vezes vindas das mais improváveis pessoas. Assim como também as criticas vieram do mesmo modo, dos mesmos canais. Sobrevivi, disse o que pensava, não me arrependo de tê-lo feito e não me retrato, se não, trairia o que sou.

Finalmente, e por conta do que escrevi no meu blog, tive a honra de ser convidado a participar de uma homenagem às mulheres caemeiras que ocorreria de 17 a 31 de março – 2011. Apaixonado que sou por este tema MULHERES, preparei um texto que depois, por sugestão da D. Lurdinha e da Dra. Leda do serviço social da Caema, virou uma apresentação digital e eu virei o apresentador, que honra pra mim, um mero leiturista, como diriam alguns “chei de lei”… foi um periodo muito bom, porque ao visitar as unidades do Sacavém, Cidade Operária, em minha própria unidade da Cohab, na unidade Centro e finalmente na sede, percebi a surpresa e ao mesmo tempo a alegria das caemeiras em ver e ouvir nossa homenagem, aida mais vinda de quem veio, o famigerado denuncista do mundo virtual. Confesso que só com essa coisa de ir de unidade em unidade participando de uma homenagem especial para as mulheres que incluia uma campanha contra o cancer de mama muito bem desenvolvida e um café da manhã delicioso, eu já estava me considerando recompensado, e até mesmo desforrado. Foi quando recebi em minha casa a convocação para meu novo emprego. Uma alegria tremenda, inumeras vezes eu consultava a lista de convocados na interner e meu nome estava bem longe, mas agora aquilo era real e era comigo. Tive que pedir demissão da Caema, deixar muitos amigos, mas é preciso continuar. Na unidade da Cohab não esquecer duas coisas: a primeira é o olhar marejada da minha chefe ao se despedir de mim; a segunda, e sabe Deus que ignificado tem, foi um comentário que um colega me fez dizendo: “…eita tua saída vai deixar um vácuo aqui…” Que fique o vácuo, que venham outros colegas, que façam igual ou melhor trabalho que eu, tudo bem, a vida segue. E eu vou seguir levando no peito os sorrisos e as amizades que construí. Aos que não me gostavam, que pena, perderam o contato com o objeto do seu desgosto, ainda assim eu não ligo. Fui apenas eu mesmo.

Agora eu coloco abaixo algumas fotos do dia da homenagem às mulheres na Sede da Caema, que agora, só agora eu sei, foi a despedida especial que o destino me reservou.

Homenagem às caemeiras
Homenagem às caemeiras – SEDE
Membros da equipe do serviço social da Caema e Eu
Membros da equipe do serviço social da Caema e Eu

A todos os caemeiros e caemeiras o meu abraço.

Ah, só uma coisa: Não vou criar como alguns pensam um “diáriodeumbancario”… por motivos óbvios.

Também vou pedir ao pessoal do CPD que cancele este e-mail liderjr#@#caema-ma.com.br, quem quiser entrar em contato comigo, poderá fazê-lo pelo: liderjr#@#bol.com.br, ou me adicionar no facebook, bastar procurar por Ribamar Costa, que estou lá e terei muita alegria em adicionar cada um de voces.

Deixo o meu carinho e meu pensamento roubado de Raul Seixas quando ele diz:

“Tente, não pense que a vitória está perdida, tenha fé em Deus tenha fé na vida… tente outra vez…”

Ribamar Costa.

Paleativo – São Luís, cidade de tolos…

Posted in diário de um leiturista by Ribamar Costa on 15/09/2010

Paleativo – São Luís, cidade de tolos…

Homens trabalhando...

Homens trabalhando...

Na entrada da única avenida que corta o conjunto em que moro, existe um problema antigo e crônico. Trata-se de um despejo de água de diversas residências e casas comerciais, que se juntam naquele ponto da avenida, e com o tráfego pesado dos ônibus, caminhões e veículos de passeio, acaba rompendo a fina camada asfaltica que ali é posta continuamente pela prefeitura. Esse probema se repete há anos, e pelo menos 4 vezes por ano, isso mesmo, 4 vezes. A buraqueira vira cratera, os veículos não conseguem rodar, daí a pouco vem a prefeitura e “tapa” o buraco, com pedras, piçarra, e asfalto, mas logo, logo, tudo terá que ser feito outra vez.

Acontece que neste meu bairro, não existe rede coletora de esgoto, cada casa conta (quando conta) com sua própria fossa séptica. Mas e a água das pias? dos banhos, da lavagem das roupas? via de regra é tudo enviado para a rua, isso mesmo, pra rua! Então acontece um efeito dominó, junta uma água da pia aqui, uma do banho dalí e pronto o caos está formado. Mas logo vem o pessoal da tapa buraco e “resolve”o problema… Ninguém pensa em drenagem, em implantar a rede de esgoto, ou em pelo menos fazer uma galeria para a água correr por baixo da avenida. Dá pra entender essa administração pública? Mas eu já sei o que é… Se eles resolverem o problema de fato, como vão fazer pra sangrar o orçamento municipal com obras caras e ineficientes como esta a que me refiro?

Uma amiga minha, me contou de sua felicidade pela recuperação recente da Avenida Santos Dumont, obra da prefeitura de São Luís, que foi alardeada imensamente. É inegável a importância dessa ação; assim como a urbanização da vala do Caratatiua, mas quando se pensa em São Luís como um todo, essas obras são muito, muito pouco. Tente comparar quanta coisa o prefeito anterior de São Luís fez desde que assumiu em seu primeiro mandato? E pensar que quando o doutor era prefeito, os ratos andavam de ônibus, nossa amada cidade tinha mais roedores do que cidadãos.

A buraqueira do meu bairro foi arrumada, de novo, e será de novo e, de novo eu sei. Mas quando será feita uma coisa séria, completa que realmente solucione o problema?

Quero finalizar esta publicação com um link para um outro desabafo no qual me inspirei e aconselho que vcs meus 4 leitores dêem uma olhada também. Quem assina é minha colega Joyce, ex-leiturista da Caema, e Jornalista de coração e formação. Aqui está o link:

Jornalismo SL

Deixem seus comentários e não esqueçam que quem lê mais, sabe mais!