Diario de um leiturista

Uma dura realidade

Posted in diário de um leiturista by Ribamar Costa on 12/12/2010

Homem morto a tiro na Izabel CafeteiraPouco tempo atrás eu publiquei aqui no diário uma foto que fiz no comando da PM que faz a segurança da área que inclui a Vila Izabel Cafeteira.  Nssa publicação eu comentava os 100 dias sem mortes na Izabel Cafeteira.  Hoje, ao fazer minha ronda comstumeira pelos jornais online (os gratuitos é claro), me deparei com esta matéria e lembrei da publicação mencionada acima.  Para entender tudo, veja:

Publicação do diário: https://diariodeumleiturista.wordpress.com/2010/09/01/vila-isabel-cafeteira-100-dias-sem-mortes/

Matéria de hoje no jornal pequeno: Homem morto a tiro na Izabel Cafeteira (Jornal Pequeno)


Licença Creative CommonsThis work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 2.5 Brazil License.

Anúncios

Paleativo – São Luís, cidade de tolos…

Posted in diário de um leiturista by Ribamar Costa on 15/09/2010

Paleativo – São Luís, cidade de tolos…

Homens trabalhando...

Homens trabalhando...

Na entrada da única avenida que corta o conjunto em que moro, existe um problema antigo e crônico. Trata-se de um despejo de água de diversas residências e casas comerciais, que se juntam naquele ponto da avenida, e com o tráfego pesado dos ônibus, caminhões e veículos de passeio, acaba rompendo a fina camada asfaltica que ali é posta continuamente pela prefeitura. Esse probema se repete há anos, e pelo menos 4 vezes por ano, isso mesmo, 4 vezes. A buraqueira vira cratera, os veículos não conseguem rodar, daí a pouco vem a prefeitura e “tapa” o buraco, com pedras, piçarra, e asfalto, mas logo, logo, tudo terá que ser feito outra vez.

Acontece que neste meu bairro, não existe rede coletora de esgoto, cada casa conta (quando conta) com sua própria fossa séptica. Mas e a água das pias? dos banhos, da lavagem das roupas? via de regra é tudo enviado para a rua, isso mesmo, pra rua! Então acontece um efeito dominó, junta uma água da pia aqui, uma do banho dalí e pronto o caos está formado. Mas logo vem o pessoal da tapa buraco e “resolve”o problema… Ninguém pensa em drenagem, em implantar a rede de esgoto, ou em pelo menos fazer uma galeria para a água correr por baixo da avenida. Dá pra entender essa administração pública? Mas eu já sei o que é… Se eles resolverem o problema de fato, como vão fazer pra sangrar o orçamento municipal com obras caras e ineficientes como esta a que me refiro?

Uma amiga minha, me contou de sua felicidade pela recuperação recente da Avenida Santos Dumont, obra da prefeitura de São Luís, que foi alardeada imensamente. É inegável a importância dessa ação; assim como a urbanização da vala do Caratatiua, mas quando se pensa em São Luís como um todo, essas obras são muito, muito pouco. Tente comparar quanta coisa o prefeito anterior de São Luís fez desde que assumiu em seu primeiro mandato? E pensar que quando o doutor era prefeito, os ratos andavam de ônibus, nossa amada cidade tinha mais roedores do que cidadãos.

A buraqueira do meu bairro foi arrumada, de novo, e será de novo e, de novo eu sei. Mas quando será feita uma coisa séria, completa que realmente solucione o problema?

Quero finalizar esta publicação com um link para um outro desabafo no qual me inspirei e aconselho que vcs meus 4 leitores dêem uma olhada também. Quem assina é minha colega Joyce, ex-leiturista da Caema, e Jornalista de coração e formação. Aqui está o link:

Jornalismo SL

Deixem seus comentários e não esqueçam que quem lê mais, sabe mais!